Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Miss Nothing

"I am different ... Equal to the rest of the world."

19
Ago17

Às vezes.

Às vezes, mas só mesmo às vezes, acho que seria perfeito ter a capacidade de voltar atrás no tempo. Nessas alturas desejo que a concepção de máquina do tempo seja real. Contudo, como nem tudo é possível, fico feliz e extremamente grata pela existência de algo infinitamente mais bonito, simples e complexo: a memória.

14
Ago17

Pessoas.

Quantos mais dias passam em que eu ajudo pessoas mais me apercebo de como estas são estranhas. Trabalhar para uma empresa que oferece o entretenimento em parte das casas no país deixou claro, desde logo, como as pessoas são tão dependentes do serviço: ainda não me consegui habituar ao desespero de alguns em não ter televisão e internet para entreter os filhos. Horrível-horrível é perceber o Cérbero em que as pessoas se conseguem tornar. Como é que algo tão pequeno pode tornar as pessoas tão descontroladas? Como é que a privação de tv e internet as torna tão mal educadas e dispostas a passar por cima de tudo e todos para terem novamente o serviço? Às vezes fico a bater mesmo mal, fico verdadeiramente incomodada como as pessoas podem ser más e, em resposta ao meu estado, dizem-me que com o tempo vou tornar-me indiferente ao jogo que muitos fazem para ter os serviços: eu duvido porque me importo demasiado. Eu gosto de ajudar pessoas: às vezes deparo-me com gente que reconhece o esforço e isso sabe bem. Mas, em outros casos: como é que se pode ficar indiferente a alguém que nos está a insultar directamente, pensando-se superior, só porque não está a ver o programa da tarde num canal nacional? Argh. Pessoas. Até a própria palavra é estranha. Precisamos de começar a furar as palas que não nos deixam ver que há muito mais à nossa volta, é o que é.

11
Ago17

Uma semana depois...

Eu não desapareci do mapa! Quer dizer: voltei há quase uma semana e estive até então sem dizer nada: tecnicamente desapareci, mas não deixei de estar por perto - não tanto quanto é normal, verdade -.O que se passou? Bem, voltei de Braga sábado e até então o meu pc esteve subterrado por roupas. O acesso foi impossível. Num dia decidia retirar o pc dos escombros, noutro momento desistia para ver programas de culinária ou já tinha outras coisas para fazer. Mas eu estou aqui. Voltei de Braga cheia de recordações e com um gosto especial por Mojitos de Morango. Quero tanto voltar a viajar...

IMG_20170807_193853_156.jpg

03
Ago17

Espera por mim, Braga.

No ano passado fartei-me de passear. Em praticamente todos os meses cheguei a ir a algum sítio e criar memórias ao (re)visitar diferentes lugares foi coisa que não faltou. 2016 habituou-me mal. Há volta de dois meses apercebi-me quão desesperada estava por colocar os pés num lugar novo, lavar as vistas e o espírito. Decidi que seria maravilhoso ir de comboio porque não é algo que eu faça: afinal, carro é tão prático. Mas...visitar sítios novos + tirar fotografias + ir de comboio + aproveitar dois dias e meio em Braga pareceu-me a coisa mais fantástica de sempre. Vou então tirar micro férias de casa. Vou arejar a cabeça e aproveitar a minha quinta e a minha sexta com algo que eu adoro: click, click, click. Fogo, fogo, fogooooo! Como eu sentia falta de ir a algum lugar. 

31
Jul17

Oceanário de Lisboa

E Julho chegou ao fim. Sinto que este mês passou a correr. Mas...não passam todos? Escolhi o primeiro fim-de-semana do mês para dar a minha prenda de aniversário às minhas irmãs. Ainda que no dia um de Julho eu lhes tivesse oferecido um pequeno mimo, o meu verdadeiro presente foi dado dias depois. Decidi, ainda em 2016, que este ano iria fazer os possíveis para oferecer como prenda uma ida ao Oceanário. As minhas irmãs não iam lá há imenso tempo e eu estava morta por regressar, principalmente depois de me ter sido oferecida uma máquina xpto. A última vez que lá meti os pés tinha sido há uns dois anos e todas as fotos que eu tirei foram com um telemóvel fraquito. Queria mudar a situação dos meus registos e envolver-me na magia daquele ambiente aquático porque não consigo cansar-me disso. Sobre os meus registos? Fogo, a coisa melhorou. Foi difícil arrancar-me de perto das lontras, das alforrecas, dos peixes palhaço. Sinto que dá para fazer melhor, mas o que consegui já está num patamar bem superior aos registos da última vez. Em baixo deixo a ponta do icebergue das muitas fotos que tirei. Melhor do que isto só mesmo pensar que ofereci uma prenda boa às minhas irmãs. Elas mereciam.

 

IMG_1870.JPG

 

 

Mais sobre mim

Mensagens

E-mail