Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Miss Nothing

"I am different ... Equal to the rest of the world."

11
Ago17

Uma semana depois...

Eu não desapareci do mapa! Quer dizer: voltei há quase uma semana e estive até então sem dizer nada: tecnicamente desapareci, mas não deixei de estar por perto - não tanto quanto é normal, verdade -.O que se passou? Bem, voltei de Braga sábado e até então o meu pc esteve subterrado por roupas. O acesso foi impossível. Num dia decidia retirar o pc dos escombros, noutro momento desistia para ver programas de culinária ou já tinha outras coisas para fazer. Mas eu estou aqui. Voltei de Braga cheia de recordações e com um gosto especial por Mojitos de Morango. Quero tanto voltar a viajar...

IMG_20170807_193853_156.jpg

03
Ago17

Espera por mim, Braga.

No ano passado fartei-me de passear. Em praticamente todos os meses cheguei a ir a algum sítio e criar memórias ao (re)visitar diferentes lugares foi coisa que não faltou. 2016 habituou-me mal. Há volta de dois meses apercebi-me quão desesperada estava por colocar os pés num lugar novo, lavar as vistas e o espírito. Decidi que seria maravilhoso ir de comboio porque não é algo que eu faça: afinal, carro é tão prático. Mas...visitar sítios novos + tirar fotografias + ir de comboio + aproveitar dois dias e meio em Braga pareceu-me a coisa mais fantástica de sempre. Vou então tirar micro férias de casa. Vou arejar a cabeça e aproveitar a minha quinta e a minha sexta com algo que eu adoro: click, click, click. Fogo, fogo, fogooooo! Como eu sentia falta de ir a algum lugar. 

31
Jul17

Oceanário de Lisboa

E Julho chegou ao fim. Sinto que este mês passou a correr. Mas...não passam todos? Escolhi o primeiro fim-de-semana do mês para dar a minha prenda de aniversário às minhas irmãs. Ainda que no dia um de Julho eu lhes tivesse oferecido um pequeno mimo, o meu verdadeiro presente foi dado dias depois. Decidi, ainda em 2016, que este ano iria fazer os possíveis para oferecer como prenda uma ida ao Oceanário. As minhas irmãs não iam lá há imenso tempo e eu estava morta por regressar, principalmente depois de me ter sido oferecida uma máquina xpto. A última vez que lá meti os pés tinha sido há uns dois anos e todas as fotos que eu tirei foram com um telemóvel fraquito. Queria mudar a situação dos meus registos e envolver-me na magia daquele ambiente aquático porque não consigo cansar-me disso. Sobre os meus registos? Fogo, a coisa melhorou. Foi difícil arrancar-me de perto das lontras, das alforrecas, dos peixes palhaço. Sinto que dá para fazer melhor, mas o que consegui já está num patamar bem superior aos registos da última vez. Em baixo deixo a ponta do icebergue das muitas fotos que tirei. Melhor do que isto só mesmo pensar que ofereci uma prenda boa às minhas irmãs. Elas mereciam.

 

IMG_1870.JPG

 

 

21
Jul17

Quinta-feira de madrugada.

Não há nada melhor do que chegar a casa de madrugada, bem tarde, depois de ter estado a ajudar pessoas, a lidar com pessoas arrogantes e com falta de consideração pelos outros, cansada e encontrar, na cozinha, um saco de papel do McDonalds com uma mensagem e o desenho de uma coroa a indicar que o conteúdo do mesmo é para mim. Lembraram-se de mim. Trouxeram-me um mimo. Depois das últimas pessoas que ajudei na madrugada de quinta-feira eu bem estava a precisar de um gesto terno para comigo.

17
Jul17

Detalhes que refrescam o mundo.

Tenho a janela do quarto aberta. Já ouvi uma mulher a cantar os parabéns a alguém, oiço um ou outro cão a ladrar (nada muito grave) e, de momento, está uma criança na rua a cantar. Está a cantar uma música de Natal em pleno Verão. Isto parece tão certo. Como estar a chover e um homem encontrar-se na rua a grelhar peixe como se nada fosse, ou a miúda que vi na semana passada: com a mala do carro aberta, ela sentada dentro da mesma e a tocar guitarra e a cantar porque why not? Pensar neste tipo de coisas faz-me crer que a banalidade praticada por estas pessoas contém uma pureza necessária para lavar a cara do mundo. O miúdo está a jogar à escondidas com alguém e ainda não parou de cantar em alusão à época natalícia. Há coisas mesmo mágicas.

Mais sobre mim

Mensagens

E-mail