Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Miss Nothing

"I am different ... Equal to the rest of the world."

21
Abr15

O problema das chaves é que nos dão problemas.

Eu não perdi a minha chave de casa. E não me estou a servir de ironia sequer. Fui sim alvo do típico.

O tempo a apertar, o pânico de perdermos o transporte quando não queremos que isso aconteça. É sempre nestas alturas que acontece alguma coisa. Eu costumo fazer um inventário antes de sair de casa, quando estou prestes a fechar a porta: Chaves de casa? Dah, estão na mão. Telemóvel? Na mão também. Passe, livro, estojo (!) - não esqueças a porcaria do estojo -, desinfectante - muito importante! -. Pastilhas elásticas?  Bah, não tenho tempo para as procurar. Cadernos, carteira, phones. Está tudo, perfeitinho, vamos lá. Tenho-me andado a portar bem, por acaso. Não tem andado a escapar nada, excepto na semana passada onde, sem querer, deixei o casaco que tinha escolhido usar. Hoje voltei a esquecer-me de uma coisa. Felizmente, lembrei-me a tempo: mal tinha fechado a porta. Eis o que aconteceu: fechei a porta, dei duas voltas e AH, bolas (!), esqueci-me daquilo. Mais duas voltas e abri a porta para ir buscar o que eu queria. Um acto tão simples e banal que já repeti milhões de vezes mas que hoje deu o ar de sua graça ao marcar-se pela diferença.

Hoje a minha chave decidiu que seria muito giro deixar-me com o coração na boca. Fechar a porta, dar duas voltas, dar duas voltas, voltar a abrir a porta: foi o suficiente para entortar a minha chave.

Riam-se.

A chave ficou curva e eu a olhar para ela como se lhe tivessem nascido antenas.

Sem pensar, tentei endireitar a desgraçada na própria fechadura até me ver atingida pelo tempo que escasseava e pelo pânico quando a minha chave já não se mexia na fechadura. Que estás a fazer?! E se partires alguma coisa? Toda a pressão de apanhar o autocarro fez-me deixar o assunto como estava e sair a correr de casa...para entrar em paranóia na rua. OH MEU DEUS. E se estraguei alguma coisa ao tentar endireitar a chave?! Na minha cabeça começou a rolar um filme onde bombeiros teriam de entrar pela minha varanda com um super escadote - porque vivo num segundo andar alto - e pensei que se assim fosse eu tinha feito bem em deixar a janela aberta. Mas antes de chegar aí passei por arrombamentos, substituições de fechaduras e, o mais estúpido de todos: talvez se consiga abrir a porta se colocar um gancho na fechadura. Porque nos filmes resulta sempre.

De qualquer forma, mandei uma mensagem para as minhas irmãs a pedir para me ligarem quando pudessem que o assunto era urgente. Imaginei que as deixava assustadas e a fazer filmes piores do que os meus, mas, na verdade, a que me atendeu estava muito calma. Expliquei-lhe a situação e pedi-lhe que fosse a casa ver se a porta abria porque, na minha cabeça, eu tinha partido alguma coisa, impedindo a porta de abrir. Estava a afogar-me num pânico do qual ela me salvou ao dizer que estava tudo bem e até tinha trancado a porta. Ufa. Não vão ser precisos bombeiros nem ganchos em fechaduras. Tudo acabou bem com um só problema: a chave. Preciso de uma nova.

21
Abr15

Acabadinho(s) de ver#189

PicMonkey Collage.jpg

Aproveitei que no sábado deu o Hunger Games na Sic para ver finalmente o Mockingjay, depois segui para o resto. Estes filmes de animação já estavam na minha lista de espera há tanto tempo que nem sei. Estou a recomendá-los a todos, com um destaque especial ao Mr. Peabody & Sherman e ao Livro da Vida que me surpreenderam para o muito.

Mais sobre mim

Mensagens

E-mail